terça-feira, fevereiro 28, 2006

As mortes da indiferença

A vida parece ser um valor de extrema importância, é quase consensual esse direito. No entanto existe uma valorização da vida, há vidas mais importantes que outras. É bastante óbvio e não merece contestação que a vida de um Inglês, Espanhol ou Norte Americano é bem mais importante que a de um Iraquiano por exemplo. Só isso parece justificar a indiferença com que se lida com os atentados constantes no Iraque e o pesar que se perpetua até aos dias de hoje pelos atentados em Nova Iorque, Madrid, Londres e no Bali porque tem muitos turistas ocidentais.
A vida parece ser um valor absoluto, mas esse valor absoluto só se aplica a certas vidas, não fico indiferente perante a xenofobia da indiferença. A hipocrisia daqueles que baseiam a suas políticas num discurso anti-terrorista mas que na prática o promovem sabem perfeitamente da existência desta indiferença, e neste sectarismo reside a perpetuação do terror como combate ao terror.

2 comentários:

Roteia disse...

É assim mesmo João! A indiferença perante a diferença é assustadoramente incivilizada.

O Raio disse...

Tabela de importância da vida:

a) Um anglosaxónico (inglês ou americano)
b) Um europeu do centro ou Norte da Europa
c) Um anglo-saxónico de esquerda
d) Um europeu do centro ou Norte da Eurpa de esquerda
e) Um europeu do sul da Europa
f) Um touro
g) Um latino americano ou um chinês ou um japonês
h) Um turco
i) Um animal de estimação (cão, gato, etc.)
j) Um indiano ou um asiático não muçulmano
k) Um asiático muçulmano
l) Um árabe
m) Um preto...