segunda-feira, dezembro 15, 2008

Serviço Público

AQUI tinha divulgado a minha predilecção pela série "Californication".
Ora, agora que a 2ª série terminou de ser exibida nos E.U. da A. e não se vislumbra para tão cedo a sua exibição em Portugal, decidi divulgar aqui o site de onde podem fazer o download de todos os episódios desta série.

Visitai pois http://www.c4links.com/

P.S. - Já está na calha a 3ª série, que estreará nos E.U. da A. no Outono de 2009.

sábado, dezembro 13, 2008

Cânticos de Natal

Para descrever este "soquete", só me ocorrem três palavras: bri-lhan-te!!!

sexta-feira, dezembro 05, 2008

Paulo Rangel não sabe fazer contas...

... os deputados do PS, PSD e CDS são uns baldas. (Nada que já não se soubesse!) Os únicos que não faltaram à chamada foram os do BE, que votaram a favor da proposta do CDS, proposta essa que suspenderia a avaliação dos professores pois todos os deputados da oposição que estiveram presentes votaram a favor da mesma.



Ao contrário do que diz Paulo Rangel, NO DIA DE HOJE, não seriam necessários 13 votos contra do PS. Isto porque não estavam presentes na Assembleia precisamente 13 deputados do PS, baixando assim para 108 o número de deputados socialistas presentes. Como 6 do PS votaram a favor da proposta e uma se absteve, o número total de votos contra foi 101.
Só que também faltaram 30 deputados do PSD (devem ter ficado todos em casa a coçar a "micose"), do CDS faltaram 2 e um terceiro não entrou na sala a tempo de participar na votação (devia estar na privacidade dos lavabos a coçar a "micose"), no PCP registou-se a ausência de 1 deputado que o partido afirmou estar doente (provavelmente por ter coçado demasiado a "micose") e, finalmente, d'Os Verdes também não esteve presente 1 deputado (de certeza que já adivinharam: ficou a coçar a "micose!).
Assim, os únicos que estiveram presentes na sua totalidade foram os deputados do BE que cumpriram integralmente as suas funções (estar presentes e activos)! Para além disto teriam bastado apenas mais 22 deputados (fossem eles do PSD ou repartidos entre PSD, PCP e CDS) para a proposta ter sido aprovada!
Incompetentes!

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Sugestão

No final do dia da maior greve de sempre dos professores (com 132 mil dos 140 mil professores a aderir ao protesto), deixo aqui uma sugestão para a equipa do ME e para a governação Sócrates.
Antes de explicar em que consiste essa sugestão, convém fazer uma pequena contextualização: sendo eu formador em vários cursos de novas oportunidades e sendo o PRA (Portfólio Reflexivo de Aprendizagem) um dos instrumentos centrais de todo o processo de RVCC dos formandos, sugiro que o ME e o governo Sócrates se sentem à mesa com um papel e uma caneta à frente e elaborem uma reflexão individual acerca desta greve.
Tenham ou não gostado, concordem ou não com as reivindicações dos professores, aldrabem ou não nos números, penso que seria positivo tentarem pôr-se no lugar dos outros. Dar-lhes-á uma melhor perspectiva sobre a sua actuação ao longo dos últimos três anos.
Pelo menos, se os formandos o conseguem fazer (sem nenhum desprimor para os mesmos), tenho a certeza que a equipa do ME e o governo Sócrates também o conseguirão! Se não forem capazes, terão sempre o apoio dos professores/formadores para os ajudar a construir um produto que tanto apregoam!

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Muita coisa para um homem só

Num dia em que parece estar tudo a acontecer ao mesmo tempo (greve dos professores, entrega da petição dos utentes do CASCI, apresentação do livro de Celso Cruzeiro e até o povo de Lajeosa do Dão se manifestou por mais médicos) pouco mais tempo terei para além do que demoro a escrever estas linhas.
Sendo assim, e em relação à greve dos professores, importa fazer o trabalho que os jornalistas não fazem: ver no terreno em quantas escolas há greve e não limitarem-se a divulgar números dos sindicatos e do Ministério que nunca estão perto uns dos outros. Assim, apenas no distrito de Aveiro temos a seguinte lista:

Agrupamento Escolas de Aradas: 92 por cento
Agrupamentos Escolas Vilarinho do Bairro: 80 por cento
Agrupamentos Pré-Escolar Vilarinho do Bairro: 59 por cento
Escola 2,3 de Avanca (fechada)
Escola 2,3 de Ilhavo (fechada)
EB 2,3 de Aires Barbosa (fechada)
EB 2,3 de João Afonso: 99 por cento
Agrupamento de Escolas da Murtosa: 93 por cento,40
Agrupamento de Escolas de Anadia: 96 por cento95,53
Agrupamento de Escolas de Cacia: 97 por cento96,82
Escola 2,3 de Aradas: 90 por cento
Escola 2,3 de Aguada de Cima: 97,5 por cento
Escola 2,3 de Valongo do Vouga: 94 por cento
EB 2,3 de Oliveirinha: 95 por cento
EB 2,3 de Vagos: 93 por cento
EB 2,3 de Branca: 97 por cento
EB 2,3 de Eixo: 88 por cento
EB 2,3 de Gafanha da Nazaré: 86 por cento
EB 2,3 de S. João de Loure: fechada
EB 2,3 de Vilarinho do Bairro: 78 por cento
Secundária de Albergaria-a-Velha: fechada
Secundária de Ílhavo: fechada
Básica de Barrocas: fechada
Básica 2.º Ciclo de Albergaria-a-Velha: fechada
Básica de Lomba: 100 por cento
Básica da Glória: fechada
Básica de Alumieira: fechada
Básica de Cale da Vila: 100 por cento
Básica de Esgueira: fechada
Básica de Oliveirinha: 100 por cento
Básica de Quinta do Simão: fechada
Básica de S. Jacinto: fechada
Secundária e 3.º CEB de Anadia: 98 por cento
Secundária e do 3.º CEB da Gafanha da Nazaré: 84 por cento
Secundária e do 3.º CEB Dr. Jaime Magalhães Lima: fechada
Secundária e do 3.º CEB José Estêvão: 80,5 por cento
Secundária e do 3.º CEB Marques de Castilho: 78 por cento
Secundária e do 3.º CEB Adolfo Portela: 65 por cento
Secundária e do 3.º CEB de Estarreja: 92 por cento
Secundária e do 3.º CEB Dr. Mário Sacramento: 76 por cento
Secundária Homem Cristo: 100 por cento.

Quanto à petição dos utentes do CASCI (que foi divulgada aqui no blog) importa referir que:
"Os pais dos seis utentes do CASCI que apelam ao alargamento do Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) desta instituição, conseguiram recolher 2.800 assinaturas, através de uma petição on-line e de outra em formato papel, ambas a circular desde o passado mês de Outubro.
O abaixo-assinado é entregue hoje ao governador civil de Aveiro, pelas 16 horas, dia em que se assinala o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Em causa está o facto de seis utentes do CASCI, que agora atingiram a maioridade, estarem em risco de ver negada a sua permanência, dado que a Segurança Social alega ter detectado falta de espaço para os continuar a albergar. Mesmo assim, os jovens continuam a frequentar a instituição. O problema, segundo Milú Calisto, reside no facto de “os pais quererem pagar as mensalidades e não saberem qual será o seu valor”, porque não são abrangidos pela comparticipação da Segurança Social."
Todo este problema não se poria se as coisas corressem tão bem como afirmou a Secretária de Estado da Reabilitação hoje de manhã na RTPN.

Em relação ao protesto levado a cabo pelo povo de Lajeosa do Dão, basta dizer que se tem a paga de um investimento levado a cabo numa altura em que a política é centralizar serviços de saúde. Abre-se um Centro de Saúde de último grito a 13km de Viseu e a 10km de Tondela quando o problema é não haver médicos espalhados pelo país!

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Dia Mundial da Sida

Comemora-se hoje e lembrei-me deste pequeno filme de Cédric Klapisch, o realizador do excelente filme "A residência espanhola".
Esta "curta" é uma divertida forma de promoção da utilização de preservativo. É que podem mesmo salvar vidas!

quarta-feira, novembro 26, 2008

Intimidação persecutória

O Dissidente Pedro Silva foi notificado pela PSP a propósito da exposição no seu blogue do seu desagrado perante os serviços prestados pelo Hospital Amadora Sintra. O método não é novo, perante a insatisfação alheia a intimidação é o caminho a seguir. Independentemente da linguagem ou tom usados na reclamação, é repulsiva a ideia de que isso pode ser criminalizado, a liberdade de expressão é sempre incomóda e assinale-se que ao invés do diálogo recorre-se à intimidação. São metódos bastante comuns em personagens de qualidade incontestável como: Pinto da Costa, Alberto João Jardim...

sexta-feira, novembro 21, 2008

Grande Reportagem SIC: "O Contrato"

No dia 16 de Novembro, a SIC emitiu “O Contrato”, uma grande reportagem, sobre o trabalho precário que contou com a participação do FERVE e dos Precários Inflexíveis. Este trabalho conta também com a participação da CGTP, da UGT, da Autoridade para as Condições de Trabalho e do Ministro do Trabalho, Vieira da Silva.

Podem ver a reportagem “O Contrato” aqui:

sic.aeiou.pt/online/noticias/programas/reportagem+sic/Video/

Reportagem: Miriam Alves e Jorge Pelicano (imagem)
Edição de imagem: Marco Carrasqueira
Grafismo: Alexandre Ferrada
Produção: Anabela Bicho; João Nuno Assunção
Coordenação: Cândida Pinto
Direcção: Alcides Vieira

Via FERVE

Vamos caçar gambozinos?

Não é bem disso que trata este vídeo... mas anda lá perto!
Foi baseado no programa de televisão "Mythbusters" ou "Caçadores de Mitos" que, para quem não conhece, põe à prova diversos "mitos" submetendo-os à experimentação científica.
Neste caso resolvi fazer algo de semelhante com alguns do "mitos" da governação Sócrates. Acabei por cingir a escolha a 3: a promessa de criação de 150 mil empregos, a promessa de não subir impostos e, finalmente, o de andarmos a trabalhar para ter um país mais pobre. Todos eles foram submetidos a uma rigorosíssima (cof cof) experimentação factual e científica, por isso não há lugar para enganos e muito menos para dúvidas!

NB: Liguem o som porque dentro do vídeo aparecem vários "clips"!

video

quarta-feira, novembro 19, 2008

Desonestidade

Não subscrevo o aproveitamento político que tem sido feito por alguma esquerda das declarações de Manuela Ferreira Leite. A inabilidade de MFL deve ser comentada enquanto inabilidade e não aproveitando para descontextualizar o que esta disse. Rui Tavares mencionou, em comentário à Sic Notícias, que MFL terá dito que "não acreditaria em reformas em democracia" (a transcrição não é textual mas é fiel ao conteúdo). Acontece que Rui Tavares prestou um péssimo serviço ao debate público ao descontextualizar o que realmente foi dito, porque o que realmente foi dito foi que não acreditaria em reformas impostas, em democracia, sobre a vontade dos profissionais alvo. Ser sério implica não ter uma camisola vestida, o clube de esquerda não se pode contentar em descontextualizar declarações dos seus opositores para mais facilmente os derrubar.

terça-feira, novembro 18, 2008

Não me venham dizer que não há!

Se, por alguma carga de demónios, a equipa do ME está convencida que não existe outro modelo de avaliação de professores (como já fizeram questão de afirmar por várias vezes), vejam ao menos o Telejornal que a Rita Marrafa de Carvalho explica como se faz por essa Europa fora:

segunda-feira, novembro 17, 2008

Recuemos até ao dia 8 de Novembro

Nesse dia, pelas 11h da manhã este vosso coexistente encontrava-se num autocarro rumo a Lisboa, para a manif dos 120 mil. Pelo caminho, na Antena 3, tive oportunidade de ouvir o programa "Nuno & Nando", da autoria de Nuno Markl e Fernando Alvim.
Apesar de gostar destas duas personagens, não tenho por hábito ouvir este programa, não porque os meus sábados de manhã sejam trabalhosos, mas porque a esta hora ainda me encontro a dormir!
O programa deste dia, obviamente, incidiu sobre a profissão docente e os convidados foram um professor e uma ex-aluna do mesmo: ou se quisermos chamá-los pelos nomes Rui Zink e Sílvia Firmino, respectivamente.
Sendo assim, posso dizer que gostei bastante do programa e se calhar, aos sábados de manhã passarei a acordar um pouco mais cedo!

Podem ouvir o programa na íntegra AQUI e AQUI.

quinta-feira, novembro 13, 2008

Eu peço desculpa MAS...

...alguém devia explicar à Sr.ª Ministra o valor da conjunção MAS. Como ninguém parece muito importado com isso, aqui vai uma brevíssima abordagem gramatical:
MAS é uma palavra classificada morfologicamente como "Conjunção (por ligar duas orações) coordenativa (da mesma natureza) adversativa (que indica oposição)".
No entanto (mais uma adversativa, agora usada por mim), a ministra pediu desculpa MAS irá continuar o seu rumo pois isso é do interesse do país, dos alunos e das escolas.

Ora, como se já não bastasse a incongruência de fazer um pedido de desculpas seguido da conjunção “mas”, ainda se tenta convencer a si própria (porque não engana mais ninguém) que está a desempenhar o papel de salvadora da nação. Escusado será dizer que “salvadores da pátria” já por cá apareceram alguns e os resultados não foram nada positivos. Para além disso, não deixa de ser uma falácia argumentativa das mais básicas usar o interesse do país, quando parte dele (os professores) saiu à rua para mostrar que quer avaliação mas não com este modelo.
Este pedido de desculpas com o "MAS" logo a seguir faz-me lembrar aquela personagem do Herman que ainda se encontra pela Internet e que dizia assim:


Transcrição do discurso da ministra: "Peço desculpa, peço desculpa aos srs. professores por ter causado tanta desmotivação MAS é do interesse do país, é do interesse dos alunos, é do interesse das escolas!"

Transcrição do discurso da personagem do Herman: "Eu peço desculpa, eu peço desculpa, eu peço desculpa, desculpa MAS eu, eu é s... eu... Eu é que sou o Presidente da Junta!"

Haja pachorra!

quarta-feira, novembro 12, 2008

Então Zé?!?!?!

Parece que o autarca modelo do Bloco, o candidato independente Sá Fernandes, não está a cumprir um mandato de acordo com as linhas orientadoras (que apesar de tudo ainda são amplas) do BE. Candidato independente ou não, tem de facto direito à sua autonomia e esta deve ser respeitada. Parece-me, no entanto, insustentável que o Bloco volte a apoiar um candidato que agora com um cargo de responsabilidade toma posições que, pessoalmente, me parecem pouco responsáveis. A última irresponsabilidade é a sua abstenção perante uma moção que exigia uma "avaliação ambiental mais profunda sobre o projecto Nova Alcântara".
Se a postura que Sá Fernandes tomou e que levou ao embargo das obras do túnel do Marquês foi louvável, esta postura de se abster perante estudos de interesse público está no campo oposto. Este deveria lutar pela transparência, como fez no caso Bragaparques, os bons projectos não receiam os estudos ambientais, pelo contrário os bons projectos desejam esses mesmo estudos e a sua transparência.

Cenas dos últimos capítulos

Na edição de hoje do Diário de Aveiro dá-se a conhecer os últimos desenvolvimentos do caso do CASCI.
Diz assim a notícia:
"Petições em favor de utentes do CASCI já recolheram centenas de assinaturas

A petição “on-line” (acessível no portal www.maisilhavo.com) a favor do alargamento do Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) do Centro de Acção Social do Concelho de Ílhavo (CASCI) conta já com mais de 500 assinaturas.

Paralelamente, circula outra em formato papel com perto de 1.500 subscrições recolhidas, adiantou uma das promotoras da iniciativa, Milú Calisto, mãe de um dos seis utilizadores da instituição ilhavense que atingiram a maioridade e que correm o risco de ver negada a sua permanência, dado que a Segurança Social alega ter detectado falta de espaço para os continuar a albergar.
A adesão às petições, porém, ainda não é suficiente, diz Milú Calisto. “Gostaria de ver a sociedade mais interessada por esta questão, que eu considero uma vergonha nacional”, referiu ao Diário de Aveiro, lamentando que não exista “meia-dúzia de tostões para garantir a permanência” daqueles utentes no CASCI, instituição que tem prestado os “cuidados especiais” de que carecem.
“É ridículo que num país dito tão democrático haja crianças que se encontram na clandestinidade. É ridículo que se espere há um ano por uma resposta de quem de direito. É ridículo que para além da vida difícil que estes pais levam, os deixem ainda em ânsias quanto ao futuro dos seus filhos”, acrescenta.
As petições dirigem-se à Câmara de Ílhavo, Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, Presidência do Conselho de Ministros e Presidência da República.
Celestino Almeida, director do Centro Distrital da Segurança Social de Aveiro, já disse que o processo está a avaliado e que estão a ser estudadas soluções."

Não percam o próximo episódio porque nós também não!

terça-feira, novembro 11, 2008

Melhores que os "Oscars"

Os Precários Inflexíveis pretendem "reconhecer o mérito de alguns dos maiores responsáveis pela precariedade em Portugal, através de uma votação aberta na Internet". Para isso lançaram os Prémios Precariedade 2008 foram apresentados nesta terça-feira e os resultados serão anunciados na Gala Prémios Precariedade, a realizar em Dezembro, em Lisboa.

Descubra as diferenças

Como é óbvio o conteúdo dos dois discursos será bastante diferente (percebo muito poucas palavras em alemão), mas, se virmos os dois vídeos sem som, as semelhanças entre a linguagem corporal de uma e de outro quase nos "entram pelos olhos dentro" (assim mesmo com a redundância bem patente).



segunda-feira, novembro 10, 2008

Entrevistas na Manif

Para quem está de fora do protesto, poderão ser bastante esclarecedoras!


A antítese modelo de gestão português

O "guru" da Gestão arrasa por completo com o modelo dominante. Insuspeito de ser esquerdista não hesita em criticar as hierarquias impostas em detrimento das hierarquias naturais e democráticas. Como qualquer gestor que se preze, critica os despedimentos como forma de contrabalanço das contas internas, logicamente que essa medida representa, por si, um fracasso óbvio de gestão. Ao contrário de um discurso errado que não percebe que a tecnologia é fruto de capacidades humanas, volta a pôr a tónica na capacidade criativa humana e na necessidade de tratar os meios humanos de forma humana.




Entrevista à sic notícias

Um belo naco de realidade

Fui ver "A Turma" ou "Entre les murs" no original francês e gostei bastante. Se calhar não tanto quanto estava à espera, visto que as expectativas eram altas e existem pontas da história do filme pouco desenvolvidas, mas o balanço que faço é muito bom.
O filme é baseado no livro homónimo de François Bégaudeau, e documenta um ano lectivo de um professor e da sua turma numa escola num bairro problemático de Paris, que serve de espelho à constituição multi-étnica da sociedade francesa, que, por sua vez, reflecte os contrates multiculturais das grandes cidades de todo o mundo. O filme é protagonizado pelo professor que escreveu o livro que deu origem ao filme e pelos actores não-profissionais que compõem a turma de alunos, tendo estes sido escolhidos entre alunos de um liceu francês.
O "improviso" funciona tão bem que temos a sensação, do início ao fim do filme, de estarmos perante situações reais e não encenadas (nem que seja muito pouco). Vi no filme situações que se passaram nas minhas aulas ou tão idênticas que não foi difícil imaginar-me a "esgrimir" verbalmente com aqueles alunos/actores. Também posso afirmar que já presenciei situações mais graves em sala de aula e tenho absoluta consciência de que, comparados com alguns alunos reais, os do filme parecem "anjinhos". No entanto, nada disso esbate a naturalidade e a vivacidade com que são recriadas, ao longo do filme, as situações que acontecem actualmente nas salas de uma qualquer escola pública portuguesa ou mesmo mundial, em toda a sua volatilidade e variedade.
E visto que algumas tendências cinematográficas dos dias de hoje se orientam para a mistura entre documentário e ficcção, a realização de Laurent Cantet pareceu-me bastante actual.

domingo, novembro 09, 2008

Os vídeos da manif





Revista de Imprensa



As fotos da Manif

Todos os caminhos vão dar à Rua!

No rescaldo da MAIOR MANIFESTAÇÃO DE TODOS OS TEMPOS realizada por uma só classe profissional no nosso país, as conclusões a retirar são bastante óbvias:
- 120.000 professores (se é que não foram mais, não há maneira de saber uma vez que a PSP não tem autorização para divulgar!) demonstraram ao país e ao mundo que não restam mais vidas a este processo de avaliação;
- a ministra da Educação mantém o discurso do "SEGUE, SEGUE, SEGUE!";
- o primeiro-ministro continua a culpar os sindicatos por terem assinado o acordo (e assinaram! e erraram ao fazê-lo! e a maioria dos professores não gostou!) quando é flagrante que são as ESCOLAS e os seus DOCENTES (que não assinaram merda de acordo nenhum) quem está contra o processo de avaliação;
- os professores prometem continuar o braço de ferro e a luta continuará.

Posto isto, todos os caminhos vão dar à RUA!
Passo a explicar: se o Governo continuar a querer impor este modelo de avaliação à martelada, os professores voltarão a vir para a rua manifestar-se por todo o país; se o modelo for suspenso pelo ME isso só se poderá traduzir na demissão da equipa "Rodrigues/Lemos/Pedreira"; e, finalmente, se tudo se mantiver como está até às eleições legislativas de 2009, quem vem para a rua será o governo Sócrates (com uma não na frente e outra atrás!).
Depois não digam que não os avisaram!

sexta-feira, novembro 07, 2008

Olha a onda, olha a onda!

O DN acabou de publicar há vinte minutos atrás uma notícia esclarecedora: na manifestação de professores de amanhã são esperados mais cem autocarros do que na Marcha da Indignação, em Março deste ano. Por isso, cabe anunciar:

"Mobilização de sábado poderá exceder os 100 mil participantes"

Cá em Aveiro existe um provérbio que diz: "Há mais marés que marinheiros"!

quinta-feira, novembro 06, 2008

Numa democracia a sério...

...o Ministro das Finanças demitir-se-ia no dia seguinte. Teixeira dos Santos alega sigilo bancário para não esclarecer sobre 500 Milhões de Euros depositados no BPN referentes a reformas. É um disparate sem precedentes, é o mesmo que um depositante dizer desconhecer o que depositou há alguns dias porque existe uma "coisa" chamada sigilo bancário... Não faz sentido algum, o sigilo bancário existe na medida em que depositantes desconhecem os movimentos de outros depositantes, o depositante, obviamente, conhece os seus depósitos e movimentos. Por outro lado isto revela porque se mantem o sigilo bancário, o sigilo serve para nestes momentos poder manter a opacidade, serve para não prestar contas, serve a quem não cumpre a lei. Mas para "azar" do MF nem o sigilo bancário o salva neste caso. É inacreditável que o MF de Portugal desconheça o âmbito do sigilo bancário, mas pior é que o tente usar para não esclarecer os portugueses sobre o que Estado faz com dinheiro público. A demissão seria o passo lógico...numa democracia, claro.

quarta-feira, novembro 05, 2008

Que eu me engane....



...e que Obama não seja apenas mais um Presidente Americano e sim um democrata.

terça-feira, novembro 04, 2008

Faço plágio porque gosto do original!

Serve o texto que se segue de singela homenagem à obra que me serviu de inspiração. É uma tentativa de estabelecer uma espécie de "origem e evolução da conjuntura de crise" que temos vivido e resolvi intitulá-la:

Proposição da "Crisíada" financeira

As casas e as acções sobreavaliadas,
Que das Ocidentais terras Americanas,
Por todos os países se espalharam,
Deixando as economias em pantanas.
Em perigo deixaram os desgraçados,
Mais do que as guerras desumanas,
E entre gente remota desbarataram
As poupanças, que estas trabalharam!

E também as garantias insidiosas
Daqueles governos, que as foram dando,
Com falsa fé, ao império dessas viciosas
Instituições bancárias, que andam roubando
Àqueles cujas obras valorosas,
Ao longo da vida vão praticando;
Denunciando, espalharei por toda a parte,
Os roubos que os governos fazem, sem engenho nem arte.

Cessem as ditaduras do capital
E os rombos grandes que fizeram;
Calem-se os defensores do vil metal
Pela infâmia dos lucros que tiveram;
Que eu defendo o humanismo social,
E luto porque só assim se obtiveram
Direitos, que agora se tentam esbater
Quando é por eles que devemos combater!

Pode ser um bom presságio para sábado

É já sabido que, dia 8 de Novembro (no próximo sábado), os professores irão mais uma vez manifestar o seu desacordo com o processo de avaliação imposto pelo Ministério/Governo.
Para além disto, o Ministério é agora confrontado com o facto de, neste momento, mais de 150 escolas terem já suspendido o referido processo. E, segundo a Fenprof, mais 450 escolas estão a recolher assinaturas para o travar, sendo que a estas se somam mais cem escolas que "optaram por adiar consecutivamente os prazos, fazendo com que, na prática, a avaliação não esteja a avançar", como afirmou Francisco Almeida.
Ora, não é preciso ser um qualquer assessor de Sócrates nem ter um Magalhães à mão para somar os números do parágrafo anterior, se não vejamos: das cerca de 1200 escolas do ensino básico e secundário existentes no nosso país, 150 têm já o processo suspenso, e a estas juntam-se mais 450. Já nem vou falar das outras 100 para não dizerem que estou a fazer "engenharia" com os números, mas ao traduzirmos tudo isto numa expressão matemática, obtemos o seguinte resultado:

150 + 450 = 600 escolas são "APENAS" metade do total. E esta metade está a mostrar-se clara e inequivocamente contra este processo de avaliação. O que me leva a concluir que, independentemente do número de professores que estiverem presentes na manifestação nacional do próximo sábado, e tendo em conta que 2/3 da classe docente já se manifestaram no passado dia 8 de Março, é seguro afirmar que não é só metade das escolas e dos professores que está contra o bendito processo de avaliação mas sim a esmagadora maioria dos professores, se não mesmo a sua totalidade.

quinta-feira, outubro 30, 2008

Fugir aos impostos é normal, diz filha de Américo Amorim

"A filha do empresário defende-se argumentando que se trata de "uma evasão fiscal socialmente aceite" e que "normal era que o preço declarado fosse inferior ao real"

Depois dos profetas da instituição casamento que, basicamente, substituíam as suas opiniões pessoais por um consenso geral da sociedade, surge um novo consenso, desta vez proposto pela filha do nosso benemérito Américo Amorim.

Engraçado, não me lembro de nenhuma cláusula a dizer: "caso queira pagar menos impostos é favor declarar a venda do imobiliário a um preço inferior ao valor real da transacção porque isso é socialmente aceite. " Não deixo de ficar admirado com o baixo nível de quem mais tem possibilidade de poder pagar impostos. Esta gente que desvaloriza a sua integridade e verga a sua personalidade a uma ganância mais pujante que a ganância sistémica do capitalismo devia ser alvo de um estudo de caso.

Em regra, o Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis é pago antes da escritura e incide sobre o valor do contrato ou sobre o valor patrimonial tributário dos Imóveis, consoante o que for mais elevado.


terça-feira, outubro 28, 2008

Greenpeace "toca e foge" em Aveiro


A notícia do Público pode ser lida AQUI.
De acrescentar que depois de acorrentar os navios, os activistas abandonaram o local para evitar serem apanhados pela Polícia Marítima!

terça-feira, outubro 21, 2008

Em nome da verdade

"Deficientes voltam a ter mais benefícios fiscais em 2009" – Agência Financeira.
"Governo reduz impostos para os contribuintes com deficiência em 2009" – Público
“Deficientes têm redução no IRS” – Diário Económico
“Orçamento para tentar atenuar efeitos da crise” – TVI

Os títulos são estes, mas a verdade é muito diferente. É preciso divulgar junto da opinião pública o que realmente se passa com os impostos dos trabalhadores portadores de deficiência que, para além da parte do salário real que é levada pela inflação, ainda têm que enfrentar um agravamento fiscal, introduzido em 2007 pelo Governo Sócrates, em nome de uma justiça social que afastou a sociedade das suas responsabilidades de inclusão destes cidadãos.

Imagine se os seus impostos tivessem aumentado assim. E imagine que o que lia nos jornais, o que ouvia nas rádios e o que via nas televisões era o oposto da realidade que estava a viver. Para além de sentir na pele a injustiça de uma medida que limita decisivamente o seu direito à inclusão social, ainda se sentiria usado como propaganda numa campanha em que se diz que os seus direitos foram reforçados.

Os trabalhadores portadores de deficiência não têm assessores de imprensa para fazer títulos de jornal. Por isso contam com a colaboração de todos nós para a divulgação de uma verdade que não consta das notas de imprensa distribuídas pelo Governo, que os média se limitam a republicar: a tributação dos cidadãos portadores de deficiência aumentou em 2007, aumentou novamente em 2008 e ainda vai aumentar mais em 2010. O que o Governo fez foi apenas dar uma trégua de um ano nesse agravamento fiscal e adiá-lo de 2009, ano de eleições, para 2010.

Abaixo da animação seguinte, da responsabiliade do Movimento de Trabalhadores Portadores de Deficiência, disponibiliza-se o código html para todos os bloggers que queiram colaborar na divulgação da mensagem nela contida. O apelo de divulgação estende-se a todos aqueles que, não tendo um blog, podem repassar esta mensagem por mail a todos os seus contactos.

Ajude na divulgação desta causa. É uma causa de todos, sua também.

Os impostos dos cidadãos portadores de deficiência estão a subir e os média limitam-se a republicar as notas de imprensa do Governo que dizem precisamente o contrário.

Em nome da verdade e por uma sociedade mais justa, colabore! Há que divulgá-lo.

Ajude na divulgação desta causa! É uma causa de todos, sua também.
Os impostos dos cidadãos portadores de deficiência estão a subir e os média limitam-se a republicar as notas de imprensa do Governo que dizem precisamente o contrário.Em nome da verdade e por uma sociedade mais justa, colabore! Há que divulgá-lo.


quinta-feira, outubro 16, 2008

Quem quiser pode assinar

a petição lançada pelos pais dos utentes do CASCI, que já passaram por situações que foram referidas AQUI, AQUI e AQUI

"Para que fique por mais relembrado, estas “crianças”, agora com a maioridade, desde os seus primeiros anos de vida tiveram sempre acolhimento nesta grande Casa e, presentemente, por exigências estruturais exacerbadas e supérfluas, estão a ser confrontados com um desalojamento injusto e indigno, tendo em conta as suas necessidades especiais, perante a indiferença de quem por elas poderia melhorar a sua qualidade de vida e a de seus pais, que neste momento anseiam pelo futuro dos filhos que tanto amam."

A petição pode ser assinada AQUI

Obrigado a todos!

É capaz de ser bom!

"Religulous" é um documentário de 2008 realizado por Larry Charles, escrito e protagonizado pelo comediante político Bill Maher. Segundo o próprio Maher, o título do filme é um trocadilho derivado das palavras "religion" e "ridiculous" (no original), insinuando a natureza satírica do documentário que pretende ridicularizar o conceito de religião e os problemas que ela acarreta.
Estreou nos E. U. da A. no início deste mês e tem estreia marcada em Portugal para o dia 4 de Dezembro de 2008.

terça-feira, outubro 14, 2008

Tão real como a morte


Talvez a única crença que me habite a mente seja a morte, acredito piamente na putrefacção e decomposição dos corpos, mas mesmo esta minha crença tem a sua racionalidade, é que ela prende-se com...como é que se diz...factos.

Acontece que existem crenças (sem aspas) que são só isso, afirmações sem base no real, uma das que está a fazer mossa na actualidade é a crença no mercado como entidade com regulação (sobre)natural e com uma "lei" chamada de oferta e procura que dispensa agentes de equilíbrio tais como políticas sociais e fiscalização.

Escrevo este post para dar conta de uma notícia (Bodies of the dead not being buried in echo of Winter of Discontent as effects of credit crunch spread across Britain) que retrata a colisão destes dois mundos, o da morte e o dos mercados infinitos. Acontece que vamos ter de esperar que a "lei" da oferta e procura apareça para resolver o problema e depois deixar a lei da natureza tratar da putrefacção e decomposição.
Há que dar "crédito" aos mortos...

sábado, outubro 11, 2008

"Cobardes"

Embora na realidade até possa não se tratar de cobardia, mas sim de oportunismo político, foi o que se ouviu na assembleia e a assembleia precisava de ouvir algo. A democracia continua a não se cumprir, o Estado continua a marginalizar pessoas cuja orientação (pelos vistos tem de ser obrigatoriamente uma orientação e não uma opção) sexual é homossexual.
Assumo hoje um pesar, pelo facto de Portugal continuar pobre, em direitos e democracia.

Não resisto a comentar o disparate nacional dominante da homofobia envergonhada, parece afinal que devemos ter em conta o "conceito" casamento e o que ele representa para a sociedade e, por isso, manter pelo menos o nome casamento em exclusividade para os casamentos entre pares heterossexuais.

Alguns apontamentos sobre o assunto:

-> Menciona-se uma eventual concepção da sociedade sobre um conceito, como se houvesse uma posição clara sobre este assunto.

-> Quem defende esta tese deve se assumir (afinal quem são os maricas?), dizer o que pensa e não criar uma sociedade à medida das suas intenções, se o fizer está a abandonar o campo da hipocrisia e contribuir para o debate.

-> Mesmo que a maioria da sociedade esteja incomodada com a possibilidade de um casal homossexual poder ser feliz, ter um contracto público que assuma isso mesmo e as benesses desse estatuto, isso não justifica que mantenhamos a injustiça porque ela tem muitos defensores. Os valores valem por si, pela lógica e razão que carregam consigo, não valem porque muita gente abdicou de pensar. Em última análise, o mundo devia ter ignorado a sociedade Nazi, não devia ter intervido, porque na Alemanha de Hitler os benefícios da exploração da miséria humana eram bastante consensuais.

-> Diz-se ser possível, existir dois direitos completamente iguais com nomes diferentes, só que o código civil não aceita parvoíces, e as coisas que são iguais têm nomes iguais. No momento de criar essa figura no código civil, a patranha ficava exposta, porque para distinguir as duas entidades, casamento e "qualquer coisa diferente", sendo elas rigorosamente iguais, teria de mencionar que a distinção passava somente pelo facto de uma ser para casais homossexuais e outro para casais heterossexuais.

P.S. Os Verdes, instrumento político do PCP, acham suficiente permitir à comunidade LGBT que se case, a verdade é que não chega, todos os direitos previstos para os cidadãos heterossexuais tem de ser extensíveis aos cidadãos homossexuais. Assim, o não reconhecimento ao direito de adopção materializa uma enorme nódoa no grupo parlamentar do PCP e Verdes, forças que se dizem de esquerda (e as outras também), não podem negar direitos básicos a elementos que, quer queiram quer não, são parte da sociedade.

sábado, outubro 04, 2008

Prosa poética

Nos dias que correm, no meio de uma crise financeira como já não se via há muito;

- por entre aprovações de planos multi-bilionários a serem pagos por todos os contribuintes do mundo;

- depois da promulgação de um Código de Trabalho tão reles que obriga os trabalhadores a darem o... braço para poderem exercer a sua profissão;

- ao mesmo tempo em que o Governo decide boicotar discussões como a do casamento entre pessoas do mesmo sexo por questões de "timing";

- no início de um ano lectivo em que é palpável o mal-estar que foi criado pelo ataque cerrado aos professores;

TALVEZ a solução passe por ver o mundo de uma forma mais bucólica, mais epicurista, mais "carpe diem", da mesma forma que o nosso P.R., que se maravilha com tarefas tão singelas como o mungir de mamíferos ruminantes!

Bebei pois um pouco da prosa poética que nos é oferecida por Sua Excelência o Presidente da República!

sexta-feira, outubro 03, 2008

Assustador é quando...

... as imitações não diferem muito da realidade.
Depois de ter dado uma entrevista a Katie Couric, a candidata a vice-presidente dos EUA Sarah Palin "viu" os seus maneirismos serem apanhados com mestria pela actriz Tina Fey.
O mais assustador é que a conversa da cópia não difere muito da original!

Aqui a entrevista original:


Aqui a brilhante interpretação de Tina Fey:


E aqui as duas em comparação (a partir dos 20 segundos):

terça-feira, setembro 30, 2008

Embora pareça autofágico, não é

O barulho da recente crise não tem deixado "ouvir" tudo, mas alerta-se que os sinais "positivos", apontados pela direita neoliberal ortodoxa, do capitalismo são na realidade sinais alarmantes para o futuro. Paulo Pinto Mascarenhas, por exemplo, menciona que "As soluções estáveis e duradouras continuam a encontrar-se no mercado – e não no Estado. Como pudemos assistir ainda há poucos dias, numa notícia aliás publicada no Negócios, das ruínas verdes do Lehman Brothers nasceram as cores azuis do Barclays. Falta saber o que irá acontecer aos cerca de 10 mil trabalhadores da empresa falida..." Vou até negligenciar a "hiper-sensibilidade social" de PPM ao falar de um belo exemplo de capitalismo em que o destino de 10 mil trabalhadores fica por saber...pormenores sem relevância. Este sistema autofágico em tempo de crise, que relembra o belo espírito selvagem dos seres que devoram outros seres combalidos, é na realidade um sistema em que a refeição somos nós consumidores, porque na realidade o prato principal ainda está para ser servido. É lógico que a ideia de adquirir outros sectores em crise serve apenas para garantir uma posição privilegiada no mercado, com o aprofundar da crise estes negócios crescerão e com a concorrência desfeita até pode acabar a crise do sector financeiro, mas não a de quem precisa dos produtos financeiros, não a de quem trabalhava para esses sectores financeiros.

sexta-feira, setembro 26, 2008

E amanhã

a DECO promove um boicote às gasolineiras!

Comemora-se hoje


o Dia Europeu das Línguas. Um dia especialmente criado para um património muitas vezes descurado! (Até rima!)

quinta-feira, setembro 25, 2008

Ponto de situação

Depois de, no final de Julho, se ter denunciado a situação lamentável em que se encontravam (e encontram) os jovens até aqui protegidos pelo CASCI, aproveita-se, agora, o balanço dado pela difusão do programa "Nos Caminhos da Região" na Rádio Terranova, no passado dia 23, para fazer um ponto de situação.
Depois da difusão do referido programa, em que estiveram presentes os pais dos referidos jovens, Ribau Esteves (autarca de Ílhavo) deu, finalmente, sinal de vida. Passo a explicar:

- os pais das crianças que estão a atingir os 18 anos continuam à espera de uma resposta sobre a continuidade dos filhos nas instalações do CASCI, que frequentam há vários anos. Seis jovens atingem agora a maioridade e a Segurança Social impõe condições para manter os jovens no Centro de Acção Social do Concelho de Ílhavo;

- Milú Calisto (a amiga que me fez o pedido em Julho), uma das mães que dá voz à preocupação dos pais, em declarações ao programa “Nos caminhos da região”, da rádio Terra Nova, disse estar desiludida com a classe política local. Disse que nem autarquia, nem deputados municipais estão a ajudar. “Ainda não vi nenhum deputado que seja a preocupar-se. O que fizeram os deputados de Ílhavo pelo CASCI? O que está o presidente Ribau a fazer por esta situação? Será que tem conhecimento? Era bom que pensassem juntos para chegar lá acima.”;

- por fim, no dia seguinte à difusão do programa supra-citado, a Câmara de Ílhavo afirma-se disponível para ouvir os pais dos alunos do CASCI que atingem a maioridade, caso desejem colocar o problema directamente à autarquia e assume que esta é uma questão nacional a pedir respostas para todo o país. Sem gravar declarações, o autarca de Ílhavo assume que esta é uma questão que exige “resposta do Estado”.

Resta agora colocar a questão: DURANTE QUANTO TEMPO MAIS DEMORARÁ A RESPOSTA DO ESTADO?

P.S. - "Não percam os próximos episódios porque nós também não!"

Os Contemporâneos

a 2ª temporada já começou, e este é dos melhores!

Introdução à especulação...

pelo Mestre Quino, que começou por publicar a sua mais conhecida BD - Mafalda - a 29 de Setembro de 1964. (Faltam poucos dias mas resolvi postar já.) No entanto, esta prancha sem título pertence ao "Potentes, Prepotentes e Impotentes".P.S. - Serve a presente como tentativa de explicação das causas pelas quais o preço dos combustíveis teima em não baixar! E já agora, não acham o boneco parecido com o Américo Amorim?

terça-feira, setembro 23, 2008

Empreendedorismo para alunos

Na universidade de Aveiro está a decorrer um inquérito para avaliar o "empreendedorismo" por parte dos alunos. É uma iniciativa excelente, até porque com esta nova "autonomia" para o ensino público universitário torna-o cada vez mais refém de parcerias privadas, quem sabe se assim os alunos não são os primeiros a fazer o ensino público refém. Se é para destruir o ensino público, ao menos que sejam os alunos, digamos que é uma morte honrada.

Entre as perguntas aos alunos, encontra-se a pergunta de quantas empresas este já criou...não sei quem foi o génio que criou este inquérito, mas se é um indivíduo empreendedor, a resposta à seguinte pergunta do questionário fica muito facilitada:



"Does capitalism still work?"

A pergunta que eu faria é se alguma vez o capitalismo funcionou? E se funcionou, para quem exactamente?

Does capitalism still work? (vídeo)

sexta-feira, setembro 12, 2008

Elucidativo

Jorge Rio Cardoso, autor do livro "Ser bom aluno 'Bora lá?", esteve em entrevista na RTPN e saiu-se com inúmeras pérolas mas das quais destaco uma, como não posso fazer uma transcrição textual vou tentar usar palavras que não descontextualizem o que o sujeito disse. Em resposta à questão do aumento das notas em virtude de um grau de exigência decrescente em relação a anos homólogos, este terá respondido dizendo que essa seria uma falsa questão, porque a hierarquia relativa entre alunos seria mantida e que até haveria vantagens, porque alunos que ficavam retidos no ensino secundário, agora, com este aumento das notas poderiam chegar mais cedo ao mercado de trabalho.

Nem sequer vou tecer comentários, pela entrevista apenas percebi o seguinte, este era com certeza o último indivíduo que eu apostaria para falar sobre ensino/educação, mas na realidade até publicou um livro sobre um assunto. Espero conseguir ter a entrevista para a poder publicar aqui no blogue.

sexta-feira, setembro 05, 2008

Faria hoje 62 anos

aquele que, na minha opinião, foi O CANTOR do século XX.

sexta-feira, agosto 01, 2008

Mais uma "fisgada"

(clicar na imagem para aumentar)

Pedido de uma amiga (II)

No seguimento do pedido publicado no dia 28, acrescenta-se agora um trabalho com veia "artística" de um tal "PANKADAS", visando a carta que a Milú escreveu ao Director do jornal "Público" a denunciar a situação que já conhecem. Para além disso, fica também "postada" a referida carta, publicada no "Público", no passado dia 29.
Pode-se facilmente concluir que o Coexistência Humorística teve tratamento preferencial, o que nos coloca numa posição privilegiada - denunciámos toda esta situação mais depressa que o "Público"! :p (e ainda servimos de rampa de lançamento a artistas emergentes)

PANKADAS 2008 (clicar na imagem para aumentar)



Carta ao Director (clicar na imagem para aumentar)

segunda-feira, julho 28, 2008

Começou hoje

pelas 10h30m, o Trilho da Esperança, que vai ser feito de Melgaço a Vila Real de Santo António, em bicicleta. É uma viagem, com chegada prevista para o dia 22 de Agosto, que servirá ao professor António Morais (da EBI de Eixo) para protestar contra as medidas do Ministério da Educação e uma prova de solidariedade para com os outros docentes.
Mais informações AQUI e AQUI.

Pedido de uma amiga

Recebi por email um pedido de uma amiga que tem um filho autista. Em vez de apresentar eu a situação, fica aqui o apelo pelas palavras da própria!
"Tenho o meu filho internado em Psiquiatria no Hospital de Aveiro. Estar no hospital já não é nada agradável, agora imagina o Serviço de Psiquiatria! Assim, e como já me deves conhecer, há coisas que não tolero. Sou muito paciente em tudo e tenho aguentado a barra sozinha, mas agora chegou a hora de dizer basta. Incitada pelas condições desumanas (suponho que este termo não é assim tão forte para a realidade que lá existe) em que estão os doentes de Psiquiatria e os profissionais de Saúde daquele Serviço, escrevi um artigo para o jornal Público, cuja publicação ansiosamente aguardo, na secção das cartas ao Director (como me foi garantido). Amanhã também segue uma carta para o Senhor Presidente da República. O tema das minhas missivas tem a ver com o ex-Centro de Saúde Mental em S. Bernardo, pois é inadmissível, tal como disse ao Sr. Presidente, haver terrenos do Estado a apodrecer enquanto 33 doentes, porque não há espaço para mais, estão emparedados numa ala de Hospital sem ar fresco e céu. Face ao que te disse, preciso de todos vós, ou melhor, sem politiquices nem outra qualquer cor, Aveiro precisa de um lugar condigno para aqueles que não o podem pedir e seremos todos nós a pedir em nome deles. Que quero eu de ti afinal? Que leias a carta e que divulgues ao máximo esta intenção, pois sei que és filho de Aveiro e meu amigo.
Sei que o meu pedido não vai esmorecer em ti nem naqueles a quem eu já falei e que se predispuseram ajudar, porque o caso não passa só pelo encerramento de S. Bernardo, que já foi, mas de muitas Instituições, nomeadamente o Casci, que eles, gostariam de ver encerrado e os pais que se amanhem, pois segundo alguém proferiu a seu tempo e em outras circunstâncias, mas não a mim, não estamos aqui para resolver todos os problemas do mundo."
Resta-me pedir a colaboração de todos e remeter-vos para o modus operandi do Governo no que respeita estas matérias, que se encontra na Resolução do Conselho de Ministros nº 49/2008.

P.S. - Como é óbvio, esta resolução tem pouco de resoluto, se é que me faço entender.

sexta-feira, julho 18, 2008

1º vídeo da Silly Season

Agora que o Verão chegou, fiquem com algo que não se vê todos os dias!

quarta-feira, julho 09, 2008

Quebrar o hábito

Quebro aqui o hábito de falar sobre política para falar sobre Manuela Ferreira Leite, a líder do PSD que se afigura de carácter temporário, a própria já terá manifestado que se não ganhar as eleições não irá para a assembleia fazer oposição, coisa que se percebe perfeitamente dado que não tem ideias políticas. Mas como sobre política nada posso dizer sobre MFL, aproveito para falar da sua fraca capacidade de raciocínio lógico e conservadorismo moral envergonhado, a cidadã MFL não conseguiu arranjar um bom raciocínio para negar os direitos mais básicos a cidadãos homossexuais. Tentou associar o casamento e os benefícios associados ao pressuposto da procriação, acontece que os homofóbicos não estão isentos de obedecer à lógica, acontece que o casamento não tem pressupostos procriativos. O casamento é um contrato público em que duas pessoas assumem um compromisso amoroso formal (sublinho formal), não assumem perante o Estado nenhum compromisso de procriação, logo, o que MFL disse, além de asqueroso do ponto de vista intelectual e moral, é mentira.

Admito que esteja a fazer uma discriminação porque é uma situação que não é igual. A sociedade está organizada e tem determinado tipo de privilégios, tem determinado tipo de regalias e de medidas fiscais no sentido de promover a família". E a seguir especificou que essas medidas eram "no sentido de que a família tem por objectivo a procriação"

As ideias de MFL são más de mais, mesmo aplicadas a criação de porcos, o Estado não define os objectivos das familias, muito menos MFL, os casais definem para si o seu objectivo de vida, o Estado assume-se como "pessoa de bem" e simplesmente acompanha de forma positiva as opções das mesmas.

quarta-feira, junho 25, 2008

Brilha na escuridão


Quando a sociedade se vê vergada às piores directivas europeias e em Portugal se assiste a uma política tão extremada à direita que deixa confuso o espectro que se auto proclama de direita, o sindicalismo resiste. E resiste porque revelou-se um verdadeiro "parceiro social" na medida em que assumiu uma parceria afincada com a sua base de apoio, os trabalhadores. Falo, claro está, dos verdadeiros sindicatos, falo neste caso da CGTP que não se verga e que não verga os que contam consigo perante o fado das políticas de sempre do bloco central, "parceiro social" afincado das estruturas dirigentes empresariais.
Propostas do governo prevêem a possibilidade de 36 horas de trabalho em 3 dias, o que deita por terra a lógica da produtividade e que entra em contraclico com a necessidade de criar emprego. Eu cá vou dar provas de produtividade, em 2009 só preciso de um dia para resolver os problemas de Portugal, em 2009 a "cruzinha" vai para o sítio certo, vai, como sempre, para a esquerda.

quinta-feira, junho 19, 2008

O futebol que conta

Isto é futebol...



...já isto, é outra coisa qualquer...




P.S. Só vi os primeiros 23 segundos do segundo vídeo

quinta-feira, junho 12, 2008

Grande "cromo"!

Neste vídeo de boa qualidade, podemos ver o magnífico baixista Pepe Bao a "malhar" como deve ser...
É, sem sombra de dúvida, o melhor baixista espanhol e ainda mistura nos seus solos umas "rodelas" de flamenco!

Solo de Pepe Bao en sevilla

quarta-feira, junho 11, 2008

Para celebrar o "dia da raça"

Embora atrasado, deixo aqui a minha solidariedade com Cavaco e um pequeno vídeo de celebração do "dia da raça".


quinta-feira, junho 05, 2008

Chiça!

200 mil pessoas esta tarde nas ruas de Lisboa!
Só uma besta como Sócrates é que pode ignorar isto... deve estar à espera que os 200.000 lhe entrem pela casa dentro para deixar de ser teimoso!

Pena não morar em Lisboa


Tem hoje lugar, pelas 18h30, na Bertrand do Chiado, uma sessão em que Ricardo Araújo Pereira, Rui Zink e Paulo Nogueira conversam com Carlos Vaz Marques e respondem à pergunta «A literatura portuguesa tem sentido de humor?»
Não conheço a obra de Paulo Nogueira mas da parte de Ricardo Araújo Pereira e Rui Zink pode-se dizer que sentido do humor nunca faltou...

sábado, maio 31, 2008

Crise? Qual crise?

Se alguém tinha dúvidas de que a crise não existe (é apenas um "pequeno crescimento" como gosta de apregoar o sr. Pinto de Sousa a.k.a. Sócrates) eis que o facto de, ontem, terem comparecido 90 mil pessoas no Rock in Rio vem provar que ela já está mais do que ultrapassada!
Na verdade, só as receitas de bilheteira ascenderam a 4.770.000 € (perto de um milhão de contos), e atendendo ao facto de cada bilhete custar 53€! (para ver concertos pré-embalados e prontos a mastigar?), o PM tem aqui um pretexto fantástico para anunciar que a crise acabou.
Enfim, 53€ para ver uma brasileira a abanar a peida, uma inglesa embriagada, um português que deu "quatro escudos" a uma gaja qualquer e fez disso uma canção, e um americano com a mania que é o Jimi Hendrix... prioridades (cada um tem as suas)!!!
Espero que, ao menos tenham ido de transportes públicos, mas ouvi dizer que os preços dos comboios também não eram assim tão baratos, o que só prova mais uma vez que a crise acabou!


P.S. - A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, esteve na Cidade do Rock e disse que gostava de ficar para ouvir Rui Veloso. No entanto, o português não integra o cartaz desta edição do festival. (ESTA INFORMAÇÃO ESTÁ NO SITE DO CORREIO DA MANHÃ MAS RUI VELOSO ESTEVE NA CIDADE DO ROCK HOJE, PARA RECEBER UMA HOMENAGEM, NÃO PARA UM CONCERTO).

sexta-feira, maio 23, 2008

O lado ternurento de Meirelles e Saramago

Para além de ser um realizador brilhante, Fernando Meirelles é também um bom cronista.
Vale a pena ler o artigo escrito pelo realizador, em que ele descreve como foi a sensação de ter assistido a "Blindness" (filme adaptado a partir de "Ensaio sobre a cegueira") ao lado de José Saramago, em Lisboa. Leia-se o artigo para ver como o relato de Meirelles é fiel. Ou, então, faça-se o contrário. Seja vendo o vídeo, seja lendo o texto, acompanhamos o desespero de Meirelles naquele momento crucial em que a ficha técnica começa a passar e Saramago fica calado, pensativo...



Por Fernando Meirelles

Depois de uma semana que pareceu uma verdadeira montanha russa emocional, saí de Cannes no sábado e fui para Lisboa mostrar o filme “Ensaio sobre a Cegueira” para o autor da história, José Saramago.

Por meses, antecipei o quanto a sessão me deixaria ansioso _e não estava errado.

Infelizmente, o cine São Jorge, que nos foi reservado, não tinha projeção digital, então foi improvisado um sistema para passarmos nossa fita. Pensei em desistir de mostrar o filme ao ver um teste da projeção, mas o escritor já estava na sala de espera e, em respeito ao compromisso, achei melhor ir em frente.

Sentei-me ao seu lado, expliquei aos poucos amigos presentes que só havia legendas em francês e começamos a ver o filme. Sofri cada vez que uma imagem não aparecia ou que uma música mal soava. Ele assistiu ao filme todo mudo e sem reação nenhuma.

Ao final da sessão, quando os créditos começaram a subir, sua mulher, Pilar, debruçou-se sobre Saramago e me agradeceu, emocionada. Silêncio ao meu lado. Antes de terminar os créditos principais, as luzes do cinema foram acesas, eu ousei olhar para o lado e vi que ele fitava a tela sem reação, como se estivesse interessado no nome dos assistentes de cenografia que passavam.

Deu tudo errado, pensei. Toquei seu braço levemente e lhe falei que ele não precisava comentar nada naquele momento, mas, então, com uma voz embargada, ele me disse, pausadamente: “Fernando, eu me sinto tão feliz hoje, ao terminar de ver este filme, como quando acabei de escrever ‘O Ensaio sobre a Cegueira’”.

Apenas agradeci e ficamos ali quietos. Dois marmanjos segurando as próprias lágrimas em silêncio. Ele passou a mão nos olhos, disfarçando a sua.
Pensei no meu pai. Emoção sólida, dessas que se pode cortar em fatias com uma faca. Num impulso, beijei sua testa. Na conversa e no jantar que se seguiram, ele disse que não considera o filme um espelho de seu trabalho e que nem poderia ser assim, pois cada pessoa tem uma sensibilidade diferente.

Disse ter gostado da experiência de ver algo que conhecia, mas que, ao mesmo tempo, não conhecia. Falou que o filme não era perfeito, mas que nunca havia assistido a um filme perfeito. Comentou algumas imagens que o emocionaram especialmente e disse ter achado o nosso Cão das Lágrimas muito doce; preferia que fosse mais agressivo.

Quando lhe contei sobre as críticas favoráveis e contrárias ao filme em Cannes, incluindo a da Folha, ele imediatamente lembrou e recontou aquela historinha do velho que vem puxando um burro montado por uma criança.

Um passante vê aquilo e acha absurdo a criança estar montada enquanto um velho caminha, então eles invertem a posição. Outro passante cruza com o grupo e reclama da situação: “Como um adulto deixa uma criança a pé enquanto vai confortavelmente montado?”. Então, os dois montam no burro, mas alguém acha aquilo uma crueldade com um animal tão pequeno.

Finalmente, resolvem ambos carregar o burro nas costas, até que outro passante observa como são estúpidos por carregar o animal. E, enfim, o velho decide voltar para a primeira situação e parar de dar importância ao que dizem.

“É isso que faço sempre”, concluiu o escritor.

Acabo de deixar José Saramago e sua mulher no Ministério da Cultura de Portugal, onde está sendo exibida uma retrospectiva de seu trabalho e sua vida.

Houve uma pequena coletiva de imprensa ali, depois de visitarmos juntos a exposição. Meu filminho de menos de duas horas me pareceu muito insignificante ao ser colocado ao lado daquela obra de uma vida inteira.

quinta-feira, maio 22, 2008

Mais do mesmo

Na terça-feira passada, dia 20, segundo notícia publicada no site do Sol, o ministro Vieira da Silva, ao referir o concurso para integrar os trabalhadores precários do Programa Novas Oportunidades (em que se incluem técnicos dos CNO, de RVC, e, claro, formadores) saiu-se com a seguinte "pérola": o concurso abrange cerca de 1600 pessoas e destina-se apenas a trabalhadores permanentes, uma vez que «existem prestadores de serviços, como formadores, que querem permanecer com esse vínculo». Uma ova!
Sr. Ministro faça uma rápida sondagem entre os formadores a trabalhar nos CNO's do nosso país e veja a dimensão da asneira que disse. Mas alguém no seu perfeito juízo se lembra de uma destas? Ai os formadores querem manter o vínculo de trabalhadores precários? Não sabia!!! Imbecil!!!

Como se não bastasse, e estando toda a gente farta de saber que, em Portugal, há excesso de professores, na Visão de hoje, sai este artigo de Teresa Campos, que denuncia a falta de professores de Língua Portuguesa (uma fatia jeitosa dos professores desempregados) em países como a Alemanha e Inglaterra, para leccionarem português aos filhos de emigrantes. Pior mesmo só o facto de numa União Europeia do século XXI, dois governos como o português e o alemão não se entenderem relativamente a esta matéria.

Realmente, de um "Pedreira" só saem "calhaus"!

(clicar na imagem para aumentar)

segunda-feira, maio 19, 2008

"Baichar och padrõejinhos"

Os padrõezinhos lá para baixo é o que pretende este Governo. Cada vez mais baixos até chegar a um nível rasteirinho!
Depois de, no sábado, o jornal Expresso ter "descoberto" que o programa Novas Oportunidades (promovido e implementado pelo Governo) incorpora trabalhadores com situações precárias (Ah! de admiração), agora foi a vez do Jornal de Negócios destacar o facto de "há dez anos, o salário médio dos trabalhadores, com idades entre os 25 e os 34 anos, representar 96% do salário médio nacional. Desde então a situação salarial destes trabalhadores tem vindo a degradar-se e actualmente o seu salário médio é de 634 euros mensais, 87% do salário médio nacional, cujo valor é 726 euros."
Mas estes são valores médios e, como tal, convém lembrar que há quem ganhe muito menos do que isto. O mais preocupante continua a ser o facto de que todos estes "precários", quer aufiram acima ou abaixo da média apresentada, serem obrigados a:
1) pagar as contribuições da Segurança Social (que podem ir dos 50€ aos 200€ mensais e que, com toda a certeza, lhes possibilitarão uma reforma segura);
2) pagar o prémio anual do Seguro de Acidentes de Trabalho OBRIGATÓRIO para Trabalhadores Independentes (que oscila entre os 70€ e 150€, consoante a cobertura oferecida);
3) nalguns casos pagar o IVA.

Para mais esclarecimentos, visite-se o FERVE para ter uma ideia mais concreta de alguns testemunhos que lá são apresentados.

AMI helps those who help themselves...

...aqueles que não querem ser ajudados, têm que receber essa ajuda por outros meios.
Fernando Nobre diz que Birmânia recusou ajuda da AMI que pretendia auxiliar as vítimas do ciclone que há duas semanas abalou o país.
Uma vez que a AMI "não pode saltar de pára-quedas com a ajuda às costas", a organização está a ponderar enviar uma ajuda financeira de 10 mil euros, transferindo o dinheiro para o arcebispo de Rangum.

terça-feira, maio 13, 2008

Começa amanhã...


... o grandioso Festival de Cannes, que este ano abre com Blindness, adaptado a partir de "Ensaio sobre a Cegueira" de José Saramago, realizado pelo brasileiro Fernando Meirelles, e com um brilhante elenco. Apesar de ainda não ter visto nem este, nem nenhum dos outros filmes, espero que seja este a receber a Palma de Ouro. Ou então o Linha de Passe de Walter Salles.
Bons filmes!

quarta-feira, maio 07, 2008

The amazing adventures of Vieira da Silva



O Ministro do Trabalho e da Segurança Social está prestes a atingir um novo ponto máximo de sofisticação!

Após ter afirmado na TSF desconhecer a realidade dos 'falsos' recibos verdes nos CNO's, Vieira da Silva foi confrontado com esta realidade na interpelação ao Governo, promovida pelo Bloco de Esquerda.

Também o FERVE interpelou o ministro acerca desta questão no programa "Prós e Contras", ao que Vieira da Silva respondeu afirmando que o Governo cumpriria com as suas obrigações, tal como já o havia feito no passado.

Ora, o que o Governo está a fazer é a afastar liminarmente todos os técnicos a recibos verdes nos Centros Novas Oportunidades (CNO's) de gestão directa do IEFP, ou seja, tratam-se de CNO's de gestão directa do próprio ministério do Trabalho.

Para celebrar esta situação, Vieira da Silva irá estar na próxima sexta-feira no CACE Cultural do Porto, para proceder à entrega de diplomas obtidos ao abrigo do programa Novas Oportunidades. Apelamos a que não deixem esta incongruência passar impune!

Esta situação é apenas um dos exemplos que começam a ocorrer na administração pública, onde existem mais de 100 mil pessoas a trabalhar a recibos verdes!

Via FERVE