terça-feira, julho 31, 2007

O cinema digital está aí!

Fui ontem ver "The Simpsons Movie" em formato digital. Boa experiência, visto que a imagem é bem melhor e o ecrã GIGAAAANTE! É como se estivéssemos a ver um DVD, exceptuando o facto de estarem mais 200 pessoas na sala. E o mais curioso é que durante o intervalo a imagem ficou pausada no ecrã. Querem ver?


O filme agradou-me bastante porque junta uma história original às personagens que já conheço desde 1991, e que continuam a fazer-me rir.
Confesso que quando comecei a ver tamanha promoção na TV, na imprensa e na Net, receei que o filme não fosse assim tão bom, mas como se trata dos "Simpsons", dei o benefício da dúvida.
E possso afirmar que correspondeu às minhas expectativas. Com piadas capazes de pôr a sala inteira a rir, pode-se dizer que a equipa de Matt Groening continua a ser imprevisivelmente engraçada, mesmo fazendo a série há quase vinte anos!
É por isso que adoro os Simpsons desde que tinha 10 anos: sempre que vejo um episódio (neste caso o filme), sei que me vou divertir! Só não sei é com quê! É imprevisível mas ao mesmo tempo familiar!
E é precisamente por isso que continua a ter piada! (É a chamada evolução na continuidade!)

quarta-feira, julho 25, 2007

Políticos pequenos, democracia minúscula


A vitória do PS em Lisboa foi grande, mas muito grande mesmo, basta ter um bocado de perspectiva para o perceber, falamos de "políticos pequenos", logo tudo para estes parece maior. É um "portugal dos pequeninos" (tão pequenino que inclusive o nome do país se escreve com letra minúscula), onde o Soquinhas e Costinha descobriram que não é preciso ser grande gente para ser gente grande.
A democracia participativa está definhada, já nem temos de questionar a fraca percepção dos portugueses em relação aos meandros da política, simplesmente estes desistiram...e quem desiste perde. Entretanto, deixamos a vida pública entregue à pequenada...que é danada para a brincadeira.

terça-feira, julho 17, 2007

Perguntas pertinentes (devidamente ilustradas)

Com a chegada da silly season, resolvi recorrer ao álbum de fotografias tiradas em férias anteriores. Para já, posto estas duas, ficando a promessa de postar mais quando as encontrar.

Será o alter ego do Taveira?
(Foto tirada em Tondela, na morada visível no dia 22-3-2005. Quem se apercebeu das coincidências foi a minha mulher. Se lá passarem agora está ligeiramente diferente.)




Será o símbolo dos paralímpicos?
(Foto tirada na A25 a 17-7-2005. Ainda está assim.)

quarta-feira, julho 11, 2007

A nova moda de excelência..quotas


Não será grande novidade se eu disser que quando se fala de dinheiro fica tudo estúpido, sim de dinheiro, porque em lado algum será razoável que num processo de avaliação o acesso às melhores qualificações esteja à partida limitada. Se eu dissesse que nas universidades as notas superiores a 17 estivessem à partida vedadas a 75% dos alunos toda a gente achava ridículo, não é sério num processo de avaliação "ter vagas" para notas, por uma razão simples, isso inquina o processo avaliativo em si. Caso exista mais de 25% de indivíduos com essa classificação, o avaliador vai ter de inquinar o processo de avaliação para poder satisfazer o critério mor de vedar esse acesso aos demais.
Mas as quotas na avaliação pública não são mais que uma fantochada do governo para poupar dinheiro em ordenados de funcionários públicos, a este processo desonesto de contenção orçamental o governo teima em apelidar de reforma. Para já se o governo gosta tanto de excelência e preza tanto as avaliações não sei porque ignora a própria avaliação que muitos portugueses parecem fazer deste governo. Assobios no estádio da Luz não deve ser um "muito bom"...
Mas indo ao que interessa, o que aqui verdadeiramente está em causa é um jogo político que agrada a uma classe em particular, chama-se neoliberalismo e basicamente caracteriza-se por querer gente altamente formada e não corresponder com a sua parte, ou seja salários condizentes com essa condição. Quando o governo fala de novas oportunidades está a entrar num processo de autismo atroz, está a negligenciar que os agentes empregadores assim como o próprio governo, enquanto agente empregador, não estão sequer a dar resposta às pessoas que já investiram na sua formação. E são precisamente os individuos de formação superior os primeiros a reconhecer essa situação. Por exemplo, há minutos, ouvi no programa opinião pública da Sic Notícias uma funcionária pública de 31 anos que após a sua incursão na função pública tirou uma licenciatura e no entanto 3 anos após ter concluido essa mesma licenciatura aufere um salário de 625 €. Por outro lado ouvi também um metalúrgico de Aveiro dizer que os funcionários públicos só fazem greves e que por sua vez no privado quando o patrão não faz aumentos é porque não pode (coitadito). E nestes dois exemplos está um retrato perfeito de Portugal, um funcionário sem formação superior a dizer que outros funcionários com formação superior são uns privilegiados, apesar de alguns deles ganharem o mesmo ou menos que este. Ou seja temos um sector como a função pública atenta e consciente dos seus direitos a ser denegrida em público, enquanto se pretende um modelo privado de pessoas com baixa formação mas que digam sim ao patrão porque nem sequer percebem muito bem o que se passa. Esta é a grande vitória deste governo, depois de ter denegrido a imagem da função pública, conseguir que outros desprivilegiados movidos por sentimentos primários de mesquinhez se mobilizem no sentido de diminuir o poder de compra dos funcionários públicos. Enquanto isso os mecanismos que agudizam as assimetrias sociais ganham força e, por estúpido que pareça, têm também o apoio dos que estão na simetria oposta da riqueza. Enfim, se calhar os "fracos" vieram mesmo ao mundo para ser esmagados, ironicamente, em democracia, por eles mesmos.


segunda-feira, julho 09, 2007

Os melhores 5 livros dos 2 que já li

Respondendo ao desafio do caro José Paulino estou na disposição de enunciar 5 livros que gosto, mas sinto que os melhores livros da minha vida ainda estão para ser lidos, assim proponho-me eleger alguns livros que não li...e que nem irei ler pois são intelectualmente superiores. A graduação dos livros está por ordem decrescente de qualidade.

LUZ - Pergunte. O céu responde Mensagens de Jesus (Alexandra Solnado)

Eu, Carolina

Momentos (Cristiano Ronaldo)

Robótica Industrial

Aparição (espera aí...mas este é mesmo um livro)


Decidi não passar a "batata quente" a ninguém, porque depois desta minha colectânea de qualidade superior fica difícil de superar, em termos de literatura erudita, as minhas escolhas.

segunda-feira, julho 02, 2007

Postura pró-activa!


O seu nome é Catherine Tate e a personagem chama-se Helen Marsh. Gosta de agradar e julga-se capaz de tudo. Para ver aos domingos à noite na RTP2, na rubrica Britcom, que estreou ontem um episódio de Extras, a "nova" série de Ricky Gervais.