segunda-feira, fevereiro 27, 2006

As insuficiências do Positivismo

Depois de argumentações em prol do relativismo (moderado) era inevitável que fosse "bater de caras" a mais assuntos.
Um dos assuntos é a visão de ciência de Boaventura Sousa Santos, este por exemplo é anti-positivista. O positivismo defende que a ciência se constrói obrigatoriamente através da verificação experimental, no entanto a realidade tem nos mostrado que isso nem sempre é possível, ou seja a verificação experimental usa-se mas pode não ser suficiente por si só, pode não servir ou pode servir como complemento.


"Positivismo é visão de que o inquérito científico sério não deveria procurar causas últimas que derivem de alguma fonte externa mas sim confinar-se ao estudo de relações existentes entre factos que são directamente acessíveis pela observação."

Isto também porque leio este estudo e parece-me pouco consequente. É certo que este estudo serve apenas de uma introdução a outros estudos mas parece-me que às hipóteses equacionadas se podiam acrescentar muitas dada a insuficiência do estudo. Este estudo pode facilmente induzir em erro porque analisa um caso específico de nascer prematuramente e depois tece considerações baseadas num inquérito feito aos próprios jovens entre os 18 e 19 anos. Não analisa tudo o que diz respeito aos jovens, pega nos que nasceram prematuramente e tenta perceber se estes sofrem de distúrbios em relação aos outros, diga-se que é um estudo inquinado na medida em que é feito já com uma solução em mente (muitos são assim é certo). Antes de mais as crianças que nascem prematuras pode ser por maus hábitos da progenitora, daí podemos influir alguma irresponsabilidade da progenitora, daí podemos inferir a influência de tal progenitora na criança. Só daqui eu podia já começar a acrescentar hipóteses.
Mais, esta investigação é até uma corroboração da visão de que o positivismo não é suficiente por si, porque este estudo pretende lançar a discussão, analisar probabilidades e conjecturar hipóteses, não é conclusivo. Isto porque a mera observação não permite tirar dados conclusivos, a quando da conclusão de um estudo mais aprofundado pode-se até chegar a soluções não ponderadas.

2 comentários:

Jorge disse...

O problema deste estudo (como na maior parte dos estudos baseados em estatisticas) e que os investigadores esquecem-se muitas vezes (ou fazem de proposito por esquecer) que correlacao nao implica causalidade, e tiram as conclusoes que bem entende pegando apenas numa das / nas variaveis que esteja de acordo com a hipotese que propoem.
Se recapitulares o metodo cientifico, veras que isto nem se pode considerar ciencia...
Poupo-te a esse trabalho :) :
- Observar um problema, ou formular uma questao.
- Observacao (e o unico passo que foi feito neste estudo)
- Formular uma hipotese - Poder-se-ia dizer que tambem fizeram isso neste estudo, mas substituiram este passo por conclusoes, a hipotese deve ser passivel de ser confirmada por experiencia.
- Fazer a experiencia para confirmar ou nao a hipotese formulada.
- Tirar conclusoes.

João Dias disse...

De acordo Jorge.
No entanto eu penso que eles não tiraram conclusões, formularam antes várias hipóteses.

"But Dr Allin told the BBC News website there were a few possible explanations."

No entanto se lermos o título podemos ser induzidos em erro, no entanto penso que está entre parenteses por isso mesmo, por não ser um dado adquirido.

De facto o meu blá blá era um bocado para dizer isso:
"...que correlacao nao implica causalidade, e tiram as conclusoes que bem entende pegando apenas numa das / nas variaveis que esteja de acordo com a hipotese que propoem."