quinta-feira, março 02, 2006

Surpreendente Katrina

Raios partam a imprensa livre.

3 comentários:

roteia disse...

O João está a falar da mesma imprensa livre que (sempre em cima do acontecimento... desculpa lá ò acontecimento), relatou exaustivamente a visita encenada de Bush depois da tragédia de New Orleans, abraçando umas pobres negritas chorosas? E da mesma imprensa livre que mais tarde, mas no próprio dia, entrevistou as mesmas negritas em estúdio, vestidas, penteadas e maquilhadas a rigor, para que elas relatassem a grande, enorme, fantástica emoção de terem sido consoladas pelo presidente?
Talvez até se trate da mesma imprensa livre que, concluindo finalmente(!) que Bush colocou a América e o Mundo num beco sem saída com a questão iraquiana, vem agora através de escândalos domésticos neutralizar o mesmo Bush, de modo a evitar novas asneiras do cowboy no médio oriente.
Ah, como eu amo a imprensa livre de manipular livremente..., sempre em cima do acontecimento!

Saudações livres.

João Dias disse...

Em comentário a um artigo de Betencourt Resendes eu omiti algumas considerações sobre isenção.

Sobre o "Bom jornalismo e as margens de lucro"

É claro que o facto positivo de terem denunciado uma mentira do mais alto dirigente do estado norte americano não me cega, continuo muito crítico mas quando decidem fazer alguma coisa decente também não me importo de o salientar. Mais, a imprensa livre não o é de todo mas escolhi este título pela ironia inerente.

João Dias disse...

Errata:
"Betencourt" -> Bettencourt