segunda-feira, junho 19, 2006

Ideologias

Talvez a ideologia mais estúpida seja a que afirma a morte das ideologias.



8 comentários:

Golfinho disse...

Ps tecnocratas andam aí desde o seu I Governo.
Andem, andem...

MW disse...

Nem mais...

E mais que ser morte, é suicídio...e é um suicidio louco, tonto, alienado...

(bem escolhida a foto)

Joana Dias disse...

Podes crer!
Além disso, é estúpido pensar que isso é sequer possível!
Onde há vida, há pensar, e onde há pensar há ideologia!
Bem, a cara do gajo...
... a pistola é bonita!

Roteia disse...

Caro João:
O problema actual das ideologias, isto falando das tradicionais diferenciações esquerda/direita, não é a da sua morte mas a da sua substituição por uma ideologia única: o economicismo.
Os motivos porque isto ocorre é que nos deviam fazer pensar. É preciso alternativas, pelo menos à Esquerda, adequadas ao mundo contemporâneo que se encontra subjugado pela cultura do consumo.
Não basta à Esquerda ser inconformista, é preciso reavivar o sentido da causa pública e, sobretudo, reconstruir a ideologia a partir do presente.

João Dias disse...

Roteia:
Por uma vez na vida vou ser sintético.
Concordo contigo, a alternativa?
Já a encontrei, obrigado.

Roteia disse...

João:
Igualmente sintético: evidentemente não falava de alternativas individuais. Se já encontraste uma alternativa colectiva, diz-me onde que vamos todos a correr,

MW disse...

Mas as alternativas somos nós que as fazemos. A política e os partidos não são mais que uma expressão de nós, dos cidadãos e da sociedade...

Não fazer porque o vizinho tambem não faz ou deixar os outros fazer e depois criticar só contribui para a apatia ideológica...

As ideologias, as alternativas ou a falta delas não são mais que aquilo que as pessoas fazem delas...

E as alternativas colectivas fazem-se de alternativas individuais...

Pelo menos é assim que eu vejo a democracia, a política e a cidadania... duma forma co-responsável.

João Dias disse...

Roteia:
Aproveitanado aquilo que a mw disse, eu falava de alternativas colectivas e lá está também individuais (visto que também me parecem indissociáveis).
E sinceramente acho que no contexto da blogosfera tenho sido bastante assumido quanto ao projecto político que apoio, mas peço que não me obrigues a repetir, não me quero transformar num mero panfleto de um partido...