segunda-feira, setembro 25, 2006

Compromisso da treta

Há quem teime em denominar o movimento de compromisso Portugal mas parece-me claro que este é o movimento da treta, um movimento com as propostas e queixumes habituais da direita.
É preciso flexibilidade laboral, a culpa é do Estado...enfim, miúdos mimados que se pudessem faziam uma vasectomia ao pai só para não terem de dividir nada com um futuro irmão.
Bem, mas vamos lá ver o que estes putos nos oferecem:

- revisão séria da Constituição da República, de modo a que esta deixe de colidir com as formas de contratação que as modernas relações económicas internacionais exigem.

-admitir a partir de 2006 a rescisão por iniciativa do empregador, com a contrapartida de uma indemnização crescente consoante a idade e o número de anos de casa do trabalhador.

- declaração de princípios na responsabilidade de gestores

- proposta de quebra do sigilo bancário mas com vigilância apertada para quem acede aos dados


Acho que basta ler as propostas para perceber porque é que este país não está na berra em termos de empresas e gestão. Ora vejamos algumas ideias:

- Propõe a alteração da constituição para flexibilizar o regime laboral mas depois anunciam uma "declaração de princípios" para a responsabilidade dos gestores, ou seja naquilo que afecta aos direitos laborais faça-se lei, naquilo que afecta à responsabilidade os gestores escreve-se uns rascunhos e logo se vê.

- Falam em flexibilidade laboral e depois cheios de "boa vontade" anunciam vantagens para quem tenha "muitos anos de casa"...acho que nem preciso de dizer mais nada. Além disso por iniciativa do empregador o que é salutar, por acaso, já agora, também gostava de um regime laboral em que os trabalhadores estipulassem os seus salários, também me parece boa ideia. Ou seja, estas medidas são excelentes para manter os mais velhos no desemprego e desincentivar o empregador a ter trabalhadores por longos períodos, visto que se por alguma razão os quiser despedir vai ter mais encargos do que com um trabalhador novo e sem emprego estável.

- A proposta de quebra do sigilo bancário até me agrada (é um das minhas principais causas) mas, claro, se aprofundarmos um bocadinho percebemos que é fogo de vista, estes preconizam este mecanismo num sistema em que quem investiga é o principal suspeito, além disso já oiço isto há muito tempo e já sei que nunca vai chegar aos off-shores ou até que vá chegar a lado algum.

O compromisso Portugal é assim um compromisso da treta de uns desiludidos com o 25 de Abril e que não podem nem sequer com as poucas responsabilidades que têm para com a sociedade, esperam tudo da sociedade civil e não querem retribuir com nada. São miúdos mimados que nunca cresceram, só que agora querem brincar com os direitos e liberdades das pessoas...

5 comentários:

Macambúzia Jubilosa disse...

Não podia concordar mais contigo. Está na moda criar estes grupinhos de "especialistaszinhos" e "entendidozinhos", "gestoreszinhos", economistaszinhos" que vem opinar sobre o que é melhor para Portugal, sem que isso, obviamente, lhes retire os privilégios.

Que corja esta.

(peço desculpa, mas hoje estou com mau feitio)

Macambúzia Jubilosa disse...

By the way...excelente regresso do Joazinho....

Nuno Guronsan disse...

Assino por baixo, João, em especial no que toca ao sigilo bancário. Acho despresível estes "senhores" mencionarem sequer a questão quando provavelmente nem lhes passa pela cabeça que as suas contas fossem sujeitas ao escrutínio de outrém. É só areia para os olhos do povinho...

Max @ Devaneios Desintéricos disse...

Como escreveu o Pedro, do Armadilhas, são gestores e não empresários. Ainda por cima maus, acrescento eu.

botadeelastico disse...

Essa "corja" não está "desiludida com o 25 de Abril! O que esses mentecaptos gostaraiam era que ele não tivesse acontecido!
A questão da vasectomia dos pais deles havia de ter sido antes do nascimento dos "corjurados", e não os tinhamos de aturar volta-e-meia-por-dá-cá-aquela-palha.