sábado, setembro 16, 2006

Nova fórmula ecuménica "Ratzinguiana"



Basicamente os novos postulados do ecumenismo aconselham de forma veemente a menosprezar o Deus de outra religião, isto tem um efeito de extrema importância e que basicamente resume-se na reunião dos entusiastas desse mesmo Deus à volta de uma fogueirinha. Enfim, o convívio...à volta da fogueira, tipo escuteiros.
Já agora, tenho uma proposta ecuménica a fazer, basicamente consiste em reunir os líderes de todas religiões e cada líder religioso opinaria sobre todas as religiões menos a sua, aliás posso fazer aqui uma antevisão da argumentação sólida e troca de pontos de vista salutar:


- O seu Deus é mau
- Não, o seu é que é
- Olha-me este, concepção imaculada, só se usaram guardanapos
- É imaculada quando comparada com o sangue que jorra dos vossos suicidas
- Epá e tu que não dizes nada, o teu Deus é um badocha e vê lá se começas andar à porrada que essa treta pacifista não engana ninguém vocês fumam daquelas coisas que nós fazemos no Afeganistão
- OMMMMMM
- Epá vocês estejam calados que vocês não estiveram nas camaras de gás, nós é que somos os escolhidos
- Pois, por isso é que foram escolhidos para as câmaras de gás...Eheheh
- Eheheh
- OMMMMMM
- Vocês e o vosso tretagrama...

Legenda:
Budismo
Cristianismo
Judaísmo
Islamismo

6 comentários:

Golfinho disse...

João, desculpa, mas neste caso, não é bitaite, é BILTRE!
Até o neocon do João Paulo II fez mais pela coexistência pacífica das 3 grandes religiões, fez quase tudo que este neonazi começou a destruir.

max disse...

Lindo, que pagode :))) Adorei o OMMMMMMM :)))

Heliocoptero disse...

Não obstante o anterior Papa ter tido como braço direito o actual. E se em relação às outras duas religiões abraamicas João Paulo II não seguiu o caminho que Ratzinger certamente lhe deve ter aconselhado, já quanto a outras religiões - como o Budismo - a coisa chegou a tomar um rumo diferente. O polémico livro do defunto pontífice, «No limiar da esperança», que tanta polémica causou entre budistas, foi disso prova.

Espera-se da parte do Vaticano um diálogo entre religiões mais ao género de debate académico cerrado e menos de convivência em torno de pontos comuns, práticos e não doutrinários que sejam.

João Dias disse...

Heliocoptero:

Quando dizes que se espera da parte do Vaticano um debate mais académico e menos conivente estás a expressar um desejo ou estás a dizer isso em função daquilo que é expectável de ser feito pelo Ratzinger????

Macambúzia Jubilosa disse...

Os budistas é que a sabem toda...

Eu sinceramente acho que eles não deviam era discutir nada, estão todos demasiado envolvidos emocionalmente com eles próprios e com a sua religião... A discussão acaba por se concentrar apenas: eu sou melhor que tu nha nha nha....

Quanto ao Ratzinger...só estava mesmo à mesma de ver o arzinho do seu profundo conservadorismo. Ora aí está ele: primeiro o criacionismo e agora ao invés de apaziguar, manda achas para a fogueira... Bonito

Heliocoptero disse...

Estou a dizer o que é de esperar deste Papa. Ele é um académico conservador e pela-se por um bom debate teológico. Dele vais ter mais enfase nos pontos que distinguem o catolicismo das restantes religiões (distinguem para melhor do seu ponto de vista, acrescente-se) e uma preferência pela convivência com discussões filosóficas e não à volta da fogueira dos pontos comuns, como fez frequentemente o seu antecessor.

A titulo de exemplo, duvido muito que vejas o Bentinho XVI em Assis numa reunião de líderes de todas as religiões, xintoísmo, taoísmo, candomblés e vodu incluidas. Por alguma coisa João Paulo II foi criticado pelos sectores mais conservadores quando o fez.