sábado, outubro 20, 2007

A garantia da liberdade de não dar garantias

Atenção, imagens de violência contra animais




Como sabemos, o mercado livre funciona bem por si só, sem necessidade de intervenção, pelo menos é esta a crença dos neo/liberais...
Mas como sou ateu, eu cá não acredito, sou desconfiado até de quem é "independente" e regula. Encontramo-nos num cenário de mercado livre, de oferta abundante, de variedade, mas se por um lado houve uma evolução exponencial nos bens de consumo, essa evolução não foi acompanhada por garantias de segurança ao consumidor. O consumidor deve saber que é barato, cheira bem, sabe bem mas saber as condições da produção, isso agora...é segredo empresarial. Acontece que os segredos empresariais podem ser negros, como o que podem visionar no vídeo acima que é referenciado pelo Golfinho, e se não nos sensibilizarmos pelos maus tratos animais, ao menos, que nos sensibilizemos pelos riscos acarretados para a nossa saúde. A PETA apela à adopção de um regime alimentar vegetariano, mas eu acho que devíamos ir mais longe, devíamos atacar o mal pela raiz, porque sem regulação no mercado, até a vida de um vegetariano fica complicada. Acontece que até os vegetais, saudáveis por si só, não o serão quando sujeitos às manipulações que mais convierem aos intentos do lucro fácil, logo se não queremos voltar à ruralidade e perder todas as vantagens de uma sociedade moderna, temos de defender um desenvolvimento sustentável, temos de regular, temos de nos vigiar mutuamente.
A ASAE em Portugal deu passos no bom sentido, mas o problema da ASAE é que não está a actuar no espectro todo e como tal está a inserir injustiça num mecanismo que pretende introduzir justiça. Ou seja, concordo plenamente que a ASAE seja rigorosa nos mecanismos de controlo de segurança alimentar, ninguém no seu perfeito juízo pode condenar essa acção por si, aquilo que falta é estender essa garantia às grandes empresas. Se visitarmos o site da ASAE
ficamos com a sensação de estar perante um orgão que pretende garantir que as grandes empresas vêem os seus direitos comerciais garantidos, isto porque podemos ler sobre apreensões de DVD/CD's piratas, fiscalização de acessos ilegais à TV Cabo..."apreensões" de camarão na Costa Nova. Ou seja, não estou a defender os acessos ilegais, nem o comércio de DVD/CD's piratas, estou a constatar que a actuação não se está a efectuar ao mercado todo. Nunca vi noticiado, "ASAE pune TvCabo por restringir transmissões televisivas pagas pelos clientes a pedido da SporTv", "ASAE confisca computadores que obrigam comprador a adquirir Windows Vista"... Ao não se actuar perante o mercado todo, a ASAE in/conscientemente apenas serve de garante dos interesses das grandes empresas, introduzindo injustiça no mercado e não garantindo na sua plenitude a segurança e garantia que os consumidores merecem.
É fácil de perceber por que nos restringimos em certos aspectos da nossa liberdade, é precisamente para garantir outros...

2 comentários:

Golfinho disse...

Só hoje li este post. Lamento e agradeço. Sou vegan há cerca de uma década.

E este cromo: http://aberratio.blogspot.com/2007/10/arte.html

Abraço

Pedro Corga disse...

Pois foi, até fiquei parvo quando li essa notícia no outro dia (sim de vez em quando leio jornais que n sejam desportivos hehe).

Já assinei a petição!

Que besta de gajo!...