sexta-feira, novembro 27, 2009

Pormenor delicioso!

Numa entrevista concedida por Michael Moore para promover o seu mais recente filme - Capitalism: A Love Story - o realizador sai-se com esta pérola.

A maior contradição relativa aos filmes de Moore é que eles renderam muito dinheiro aos estúdios que o apoiaram. É por isso que se chama "Capitalismo: Uma História de Amor"? "Sim, porque eu amo-os por me deixarem fazer este filme", brinca. "Podemos perguntar porque é que estas empresas dão dinheiro a um tipo que defende coisas diametralmente opostas a tudo o que eles defendem. Permitem-me fazer estes filmes porque tiro partido de uma das falhas bonitas do capitalismo: o capitalista vende-nos a corda com que se há-de enforcar se puder ganhar um dólar com isso."

:D

2 comentários:

Catalyzing disse...

LOOOL! Muito bom :)
Em exibição em Aveiro, um dia, quem sabe?
Mariana

maximo disse...

Dps os capitalistas é que são os espertinhos?

O capitalismo é liberdade de expressão, liberdade de criação, quem manda no capitalismo são os consumidores, ou seja, toda a gente.

Já num sistema puramente socialismo em que a economia é quase totalmente controlada pelo estado, quem manda são alguns que tão no poleiro e na sua prepotência dizem saber as melhores escolhas para as pessoas. Num sistema puramente socialista duvido que um filme a criticar o socialismo fosse transmitido no mundo todo.

Meu caro, ademiro a sua vontade de criar um mundo melhor para a sociadade, mas voce esta no caminho errado. Leia mais sobre os fundamentos do capitalismo com abertura mental e compreenderá que o capitalismo foi o que melhor aconteceu ao mundo e tentar destrui lo é dar um passo gigante atras nas grandes conquista da humanidade.

Aqui fica um livro que recomendo, http://www.endireitar.org/site/biblioteca-online/doc_download/11-ludwig-von-mises-as-seis-licoes

Gostava de ver tda essa energia e criatividade para mudar o mundo a ser usada no caminho certo.